quarta-feira, 6 de julho de 2016

A Ira e o Furor de Deus no Julgamento da Grande Prostituta do Apocalipse


Profecia terrível a respeito do Julgamento do Vaticano de todos os tempos, inclusive de hoje, e de tudo o que representa, e sua destruição total.



Eu, Waldecy Antonio Simões, internauta ativo na propagação da Palavra de Deus, pertenço a uma das 398 congregações pelo mundo que santificam o sábado como o Dia do Senhor, portanto somos os remanescentes que não aceitaram a subserviência ao papado romano de tantos erros. Siga o Link:

http://gospel-semeadores-da.forumeiros.com/t12521-todas-as-igrejas-que-guardam-o-sabado. 

“Ainda que o número dos filhos de Israel seja como a areia do mar, o remanescente é que será salvo”. Romanos 9:27



Ao visitar a Roma de Leão X, depois de tomar conhecimento da alta corrupção clerical, assombrado, o frade Martinho Lutero, escreveu: “Ninguém pode imaginar as ações infames e os pecados que se cometem em Roma. Se existe mesmo o Inferno, Roma está construída sobre ele.”   Martinho Lutero.

O Frade Savonarola havia feito igual:


Tu profanaste os sacramentos pela simonia, clama ele à sua Igreja. A tua luxúria fez de ti uma prostituta. És um monstro abominável. Criaste uma casa de devassidão. Transformaste-te, de alto a baixo, em casa de infâmia. E o que faz a mulher pública? Acena a todos os que passam; quem tiver dinheiro pode entrar e fazer o que lhe apeteça. Mas quem quer o bem é expulso. Foi assim, Igreja prostituída, que desvendaste a tua vergonha aos olhos do universo inteiro e o teu hálito envenenado elevou-se até ao céu”.  Fonte: TINCQ, Henri - Os Gênios do Cristianismo. Histórias de profetas, de pecadores e de santos. Lisboa: Gradiva, 1999. (Para quem não sabe o que é Simonia, trata-se da burla da compra de votos para eleger-se, no caso aqui a papa).


Por proclamar essa Verdade altamente notável e comprovada pela História Universal (ex: a Enciclopédia Barsa), tremenda foi a vingança vaticana contra o corajoso frade Savonarola, ao final do século 15, pois foi enforcado e depois, pela ira e ódio incontido do corrompido Papa Alexandre VI, da famosa família Borgia, não contente em tê-lo enforcado, ordenou que seu cadáver fosse também literalmente assado nas fogueiras da “Igreja de Deus”, juntamente com seus auxiliares. 

O GRANDE JULGAMENTO DO VATICANO E A TUDO O QUE ENGLOBA, está profetizado no Apocalipse 16:19 e segue sem pausa até o início do capítulo 19:

“E a grande cidade fendeu-se em três partes, e as cidades das nações caíram; e da grande babilônia se lembrou Deus, para lhe dar o cálice do vinho da indignação da sua ira”. Apocalipse 16:19.

"...Nós detemos nesta terra o lugar de Deus Todo-Poderoso..."   O Papa Leão XIII, em Praeclara Gratulationis Publicae. A Reunião da Cristandade. Encíclica promulgada em 20 de Junho de 1894.

As inserções bíblicas aqui colocadas são da tradução de Almeida (https://www.bibliaonline.com.br).

A Ira e a Vingança de Deus contra o papado romano e seus subordinados cúmplices na grande amplitude de crimes e zombarias contra o Espírito Santo de Deus se dará pelos principais motivos:

O papado romano "apossou-se" do Legado de Simão Pedro, do Legado cristão, mas corrompeu esse legado em seu insólito catecismo de tal forma que jamais houve no mundo tanta corrupção junta. Na verdade, não conservaram o cristianismo, mas criaram um ramal religioso que se tornou a MAIOR DAS SEITAS DO MUNDO:


http://souocatolicismomeupassadomecondena.blogspot.com.br/    

O papado romano em sua nova religião criada após Constantino, está mais para uma Grande Seita, pois lotou seu catecismo com um montão de invenções sem fundamentos bíblicos e trocou o Amor de Jesus pelo ódio e pela vingança mortal; 

 a Misericórdia de Jesus pelo ódio;


 a Tolerância pela desforra; 


 a Caridade de Jesus pela omissão;


 Quanto à Palavra de Deus que NUNCA MUDA, os clérigos católicos trocaram por uma doutrina pautada nos resultados dos insólitos concílios das épocas mais negras da Igreja, que desfigurariam o cristianismo, em seu catecismo, criando o catolicismo que nada mais é que um RAMAL religioso cujas invenções humanas, nada bíblicas resultou na criação de UMA GRANDE SEITA, a maior do Mundo,   com o tal Purgatório;   com o Limbo;    com o Batismo de bebês;     com as rezas pelos mortos;    com a impossível intercessão de "santos e santas";   com a santificação de homens e mulheres pelo próprio homem;   pelo julgamento particular de cada um na hora da morte;   pela crença de que um padre na missa pode criar quantos cristos quiser, inventado; que Maria e "santos" inventados estão no Reino de Deus intercedendo pelos católicos;   que o perdão de Deus tem de passar por um homem de paramentos;  que a busca a Deus tem de passar por estátuas, estatuetas de barro;  que "são santas" as procissões carregando, em triunfo, andores uma insólita estátua de barro pela cidade;   com a representação do Grande Sacrifício do Cordeiro de Deus com pão, mas sem vinho, a seco, inventado;  papas que surpreendentemente se auto elevaram à condição de Deus;  com a insólita troca do sábado santo e solene de Deus pelo domingo do homem;  com a troca da Bíblia, a Palavra de Deus Escrita pelo insólito catecismo dos homem;  com a criação do conglomerado Vaticano, imenso e glorioso materialmente, que acolhe uma corte extensa de cardeais e bispos, verdadeiros chupins, um batalhão de segurança e quatro mil funcionários que servem ao Rei papa. 

O Rei papa vestido de rei, com coroa de rei e com as nádegas grudadas em tronos reais, recebendo todo o tipo de prestígio humano, saindo fora, completamente, mas completamente mesmo do Simão Pedro de sandálias que nem uma moedinha tinha para dar a um pedinte, mas que pelo poder de Deus curou o entrevado pedinte, poder tal  que nunca alcançou um só das centenas de papas católicos, e se um só deles endireitou um só entrevado, impondo as mãos, eu como uma lista telefônica inteira e das bem grossas, defronte a uma câmera ligada ao Youtube  

Com seu Museu das Almas Penadas no Vaticano. Vídeo da Rede Globo de TV:

 https://www.youtube.com/watch?v=hXsoxnvQd3A 

 Os papas do século 13, por conta com Concílio de Toulouse (que ardilosamente não consta da relação dos concílios católicos, assim também como o Concílio de Laodicéia) se deram licença para torturar, para assassinar, principalmente pelo fogo, para proibir, sob pena de morte, a leitura da Bíblia ou partes dela, para proibir que a Bíblia fosse traduzida para outras línguas, sob pena de morte, que se deram licença para literalmente venderem, por bom dinheiro, lugares eternos no Reino de Deus, para colocar fisicamente o velho corpo de Maria, a santa em vida, a mãe de Jesus no Reino de Deus, para transformar Maria em a "mãe de Deus" como se Deus pudesse ter nascido pela vagina de uma mulher, TUDO INVENTADO, por isso sempre digo e direi que o catolicismo é a maior seita do mundo.  Detalhes em meu blog:


 http://apavorosainquisicaocatolica.blogspot.com.br/


 http://ababiloniadoapocalipseovaticano.blogspot.com.br/


Segundo a lista de livros colocados ao final, o papado romano trucidou, “em o Nome de Deus” centenas de milhares de pessoas, cuja maioria quase total foi dos remanescentes que não se sujeitaram a submeter-se ao papado de Satanás e, principalmente, de não aceitarem a alta corrupção clerical que reinava em todas as esferas clericais católicas.  

. “... mas virá a hora em que quando vos matarem, julgarão estar prestando culto a Deus”.  O Evangelho de João, 16.2.  

O segundo fortíssimo motivo da ira, do furor e da vingança de Deus:

Zombando de Deus os papas se elegerem Deus na Terra:

"...Nós detemos nesta terra o lugar de Deus Todo-Poderoso..."  O Papa Leão XIII, em Praeclara Gratulationis Publicae. A Reunião da Cristandade. Encíclica promulgada em 20 de Junho de 1894.  
 "O Papa é de tão grande autoridade e de um poder tão grande que pode modificar, explicar ou interpretar mesmo as leis divinas... O Papa pode alterar a lei divina, visto que o seu poder não procede do homem, mas do próprio Deus, e atua como vice regente de Deus sobre a Terra com amplitude de poder para atar e desatar os membros de sua grei (santo povo)", “Manifesto do Papa II, Lucius Ferraris, Prompta Bibliotheca, v. 6, pg. 25).
   
Uma gigantesca agressão a Deus, bem próprio do papado romano.

Não somos simples mortais. Ocupamos na terra o lugar de Deus, estamos acima dos anjos e somos superiores a Maria, mãe de Deus, porque ela deu a luz a um Cristo somente, mas nós, podemos fazer quantos Cristos quisermos”.  Afirmações do Papa “São” Pio IX, ao final do século 19, o papa “São” Pio IX, graças ao “santificador” João Paulo II. Gazeta da Alemanha número 21 do ano de 1870. 


Crer que nosso Senhor Deus, o Papa, não tem poder para decretar assim como ele tem decretado, deve ser considerado heresia." “Nosso Senhor Deus, o Papa”. "Dominum Deem nastrum Papam".    O Brilho dos Extravagantes (2) do Papa João XXII, Inter, título 14, capítulo 4, "Ad Callem Sexti Decretalium", Coluna 140, Paris, 1685. (Em uma edição de Antuérpia dos Extravagantes, as palavras, "Dominum Deum Nostrum Papam". "Nosso Senhor Deus o Papa", podem ser encontradas na coluna 153). 

Porque ele é o vigário de Cristo, que é o "mesmo Deus e o mesmo homem". Decretal D. Gregor. Pap. IX. lib. 1. de translat. Episc. tit. 7 c. 3. Corp. Jur. Canon. ed. Paris, 1612; tom. II Decretal. col. 205.

“O sacerdote é o homem de Deus, o ministro de Deus... Aquele que despreza o sacerdote despreza Deus; aquele que o ouve, ouve a Deus. O sacerdote perdoa pecados como Deus, e aquilo que ele chama de seu corpo no altar é adorado como Deus por ele mesmo e pela congregação (...). Está claro que a sua função é tal que não se pode conceber nenhuma maior. Portanto, eles não são simplesmente chamados de anjos, mas também de Deus, mantendo como fazer o poder e autoridade do Deus imortal em nós”.  A doutrina católica, segundo resoluções do Concilio de Trento (1545-1563) Edição Rara, Publicação Rio de Janeiro: A. p. Guimarães & Ca. 1864. Biblioteca da PUC RJ.

“O sacerdote é o homem de Deus, o ministro de Deus... Aquele que despreza o sacerdote despreza Deus; aquele que o ouve, ouve a Deus. O sacerdote perdoa pecados como Deus, e aquilo que ele chama de seu corpo no altar é adorado como Deus por ele mesmo e pela congregação (...). Está claro que a sua função é tal que não se pode conceber nenhuma maior. Portanto, eles não são simplesmente chamados de anjos, mas também de Deus, mantendo como fazer o poder e autoridade do Deus imortal em nós”.  A doutrina católica, segundo resoluções do Concilio de Trento (1545-1563) Edição Rara, Publicação Rio de Janeiro: A. p. Guimarães & Ca. 1864. Biblioteca da PUC RJ.

Não o Criador do Universo, em Gênesis 2, mas a Igreja Católica pode reivindicar para si a honra de haver outorgado ao homem um repouso a cada sete dias. Storia della Domenica, S.D. Mosna, de 1969, pg. 366.  

É melhor buscar refúgio no Senhor, que confiar nos homens”. Salmos 118:8.

“A Igreja de Deus, porém, achou conveniente transferir para o domingo a solene celebração do sábado”. Catecismo católico, Edição 2, Editora Vozes, Petrópolis, RJ. 1962.

Não o Criador do Universo, em Gênesis 2, mas a Igreja Católica pode reivindicar para si a honra de haver outorgado ao homem um repouso a cada sete dias. Storia della Domenica, S.D. Mosna, de 1969, pg. 366


Pelo Concílio de Toulouse - que ardilosamente não faz parte do rol dos concílios católicos - os papas reis que se deram licença para torturar, para matar, para tomar os bens familiares dos acusados de “heresia”, de decretar a morte aos que ousassem ler a Bíblia (Concílio de Toulouse, século 13) ainda ousou “lixar” das Rochas Sagradas das Leis de Deus Pai, ESCRITAS PESSOALMENTE POR ELE, os seus dois principais mandamentos:

 Segundo Mandamento: Não farás para ti  imagem de escultura, nem semelhança alguma do que há em cima, nos céus, nem embaixo, na terra, nem nas águas debaixo da Terra. Não as adorarás, nem lhes prestará culto; porque eu, o Senhor, teu Deus, sou o Deus Zeloso, que visito a iniquidade dos pais nos filhos até a terceira e a quarta geração daqueles que me aborrecem, e faço misericórdia até mil gerações daqueles que me amam e guardam os meus Mandamentos. Deuteronômio, 5.4 a 9.

Quarto Mandamento:   “Lembra-te do dia do sábado, para o santificar. Seis dias trabalharás, e farás toda a tua obra.   Mas o sétimo dia é o sábado do Senhor teu Deus; não farás nenhuma obra, nem tu, nem teu filho, nem tua filha, nem o teu servo, nem a tua serva, nem o teu animal, nem o teu estrangeiro, que está dentro das tuas portas.  Porque em seis dias fez o Senhor os céus e a terra, o mar e tudo que neles há, e ao sétimo dia descansou; portanto abençoou o Senhor o dia do sábado, e o santificou”. Êxodo 20:8-11.

 "E a mulher que viste é a grande cidade que reina sobre os reis da terra". Apocalipse 17:18.

Por causa das altas agressões a Deus, o mundo católico foi ensinado a praticar a idolatria iconolátrica e a desrespeitar os solenes, santos e benditos sábados de Deus, assim mesmo nomeado por ele. Infelizmente, a extensa maioria evangélica se submeteu ao papado romano - que é gerenciado pelo próprio Satanás -, desrespeitando os sábados de Deus.

Vamos, então, às profecias sobre o Grande Julgamento dos anticristos, as bestas do Apocalipse, o papado romano e todos os seus seguidores:

“E a grande cidade fendeu-se em três partes, e as cidades das nações caíram; e da grande babilônia se lembrou Deus, para lhe dar o cálice do vinho da indignação da sua ira”. Apocalipse 16:19.

E veio um dos sete anjos que tinham as sete taças, e falou comigo, dizendo-me: Vem, mostrar-te-ei a condenação da grande prostituta que está assentada sobre muitas águas, com a qual fornicaram os reis da terra; e os que habitam na terra se embebedaram com o vinho da sua fornicação. E levou-me em espírito a um deserto, e vi uma mulher assentada sobre uma besta de cor de escarlata, que estava cheia de nomes de blasfêmia, e tinha sete cabeças e dez chifres. Sobre muitas águas, significa sobre muitos povos. Catolicismo significa Geral – Universal - muitos povos. Ver:

“E disse-me: As águas que viste, onde se assenta a prostituta, são povos, e multidões, e nações, e línguas”. Apocalipse 17:15.

E a mulher que viste é a grande cidade que reina sobre os reis da terra. Apocalipse 17:18.

E a mulher estava vestida de púrpura e de escarlata, e adornada com ouro, e pedras preciosas e pérolas; e tinha na sua mão um cálice de ouro cheio das abominações e da imundícia da sua fornicação.  E na sua testa estava escrito o nome: Mistério, a grande Babilônia, a mãe das prostituições e abominações da terra.  E vi que a mulher estava embriagada do sangue dos santos, e do sangue das testemunhas de Jesus. E, vendo-a eu, maravilhei-me com grande admiração”. Apocalipse 17:6   Os mártires de Jesus, aos milhares, que foram literalmente assados vivos nas fogueiras de Satanás, ou enfrocados, e em público para “dar o exemplo” intimidando a outros.

E o anjo me disse: Por que te admiras? Eu te direi o mistério da mulher, e da besta que a traz, a qual tem sete cabeças e dez chifres. A besta que viste foi e já não é, e há de subir do abismo, e irá à perdição; e os que habitam na terra (cujos nomes não estão escritos no livro da vida, desde a fundação do mundo) se admirarão, vendo a besta que era e já não é, ainda que é.  Aqui o sentido, que tem sabedoria. As sete cabeças são sete montes, sobre os quais a mulher está assentada”.   Apocalipse 17:9.      O Vaticano tem tudo a ver com os sete montes, os sete montes de Roma.

“E a mulher que viste é a grande cidade que reina sobre os reis da terra”.

Os papas comandaram oitos cruzadas por seis séculos. Além de manterem exércitos particulares em frequentes guerras de sangue para manter seus territórios na Velha Europa ou para depor um papa para tomar o lugar dele, os papas ainda utilizavam os cruzados, extensos baderneiros, estupradores e assassinos, uma turba de criminosos altamente malvados. Mesmo a História Universal conta que os tais cruzados ditos católicos invadiam povoados, tomavam os bens dos habitantes, estupravam as mulheres e depois tocavam fogo em tudo, imitando o antigo asiático Genghis Khan e sua turba.

Publicação da Editora Abril.

Por Reinaldo José Lopes


O império do Vaticano.

Por quase 2 mil anos, os papas foram muito mais que líderes religiosos. Nomearam reis, governaram vastos territórios e até comandaram tropas no campo de batalha. E ainda hoje têm poder para chacoalhar o mundo.

“A passagem é uma das mais famosas da Bíblia. Diante da fé inabalável de seu discípulo Simão, Jesus teria declarado: “Eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja. Darei a ti as chaves do Reino dos Céus”. A frase se tornou a base da autoridade dos papas. Como sucessores diretos de Pedro, eles teriam de guiar todos os cristãos do mundo, seguindo os ensinamentos de Jesus. Os papas, entretanto, não se contentaram com os Céus. Acabaram se tornando donos das chaves de muitos reinos da Terra.

Apenas três séculos após a morte de Pedro, os pontífices deixaram de ser líderes de uma seita perseguida para virar interlocutores de imperadores. Com o tempo, tornaram-se senhores de seu próprio império, governando grandes extensões de terra na Itália e fora dela, só perdidas no século 19. Em sua busca por território e poder, negociando nos bastidores ou comandando exércitos pessoalmente, houve momentos em que os papas pareciam ser capazes de moldar o mundo como quisessem”.

Continuando a Julgamento da Grande Prostituta, o papado romano:

“E depois destas coisas vi descer do céu outro anjo, que tinha grande poder, e a terra foi iluminada com a sua glória.   E clamou fortemente com grande voz, dizendo: Caiu, caiu a grande Babilônia, e se tornou morada de demônios, e coito de todo espírito imundo, e coito de toda ave imunda e odiável.   Porque todas as nações beberam do vinho da ira da sua fornicação, e os reis da terra fornicaram com ela; e os mercadores da terra se enriqueceram com a abundância de suas delícias.   E ouvi outra voz do céu, que dizia: Sai dela, povo meu, para que não sejas participante dos seus pecados, e para que não incorras nas suas pragas.  Porque já os seus pecados se acumularam até ao céu, e Deus se lembrou das iniquidades dela.

Tornai-lhe a dar como ela vos tem dado, e retribuí-lhe em dobro conforme as suas obras; no cálice em que vos deu de beber, dai-lhe a ela em dobro. Quanto ela se glorificou, e em delícias esteve, foi-lhe outro tanto de tormento e pranto; porque diz em seu coração: Estou assentada como rainha, e não sou viúva, e não verei o pranto.  Portanto, num dia virão as suas pragas, a morte, e o pranto, e a fome; e será queimada no fogo; porque é forte o Senhor Deus que a julga. E os reis da terra, que fornicaram com ela, e viveram em delícias, a chorarão, e sobre ela prantearão, quando virem a fumaça do seu incêndio”.  Apocalipse 18:1-9.

Alegra-te sobre ela, ó céu, e vós, santos apóstolos e profetas; porque já Deus julgou a vossa causa quanto a ela.  E um forte anjo levantou uma pedra como uma grande mó, e lançou-a no mar, dizendo: Com igual ímpeto será lançada a Babilônia, aquela grande cidade, e não será jamais achada.   Apocalipse 18:20-21.

“...porque todas as nações foram enganadas pelas tuas feitiçarias”.    E nela se achou o sangue dos profetas, e dos santos, e de todos os que foram mortos na terra”.   Apocalipse 18:23-24.

E, depois destas coisas ouvi no céu uma grande voz de uma grande multidão, que dizia: Aleluia! A salvação, e a glória, e a honra, e o poder pertencem ao Senhor nosso Deus,  porque verdadeiros e justos são os seus juízos, pois julgou a grande prostituta, que havia corrompido a terra com a sua fornicação, e das mãos dela vingou o sangue dos seus servos.  E outra vez disseram: Aleluia! E a fumaça dela sobe para todo o sempre.   Apocalipse 19:1-3
.
Precisa dizer mais alguma coisa, se o Evangelho. acima colocado, já disse tudo acerca dos papas de satanás, as bestas, e de seus seguidores?

Um dia, ao trocar E-mails com um cardeal católico a respeito da verdade ou mentira da Igreja Católica, colocou-me: "Waldecy, se a Igreja católica já existe há dois mil anos, se não fosse de Deus já teria sido destruída. Concorda?"

Não, respondi, primeiramente que o catolicismo e os “sumos pontífices” só foram criados no século quinto,  e o senhor não pode desmentir a História Universal, mas SOBRETUDO, o Vaticano terá de ser preservado como está até o Grande Dia da Volta de Jesus para que se cumpra a profecia citada. 

Jesus voltará com sua Justiça que nunca tivemos aqui na Terra, demore ou não, para que se cumpram todas as profecias do Apocalipse, como também a do Grande Julgamento da Grande Prostituta, o Vaticano e tudo o que o cerca, quando ali será julgada e condenada. Apocalipse 16:19 até 19:6.

Waldecy Antonio Simões   walasi@uol.com.br


Bibliografia sobre dados relatados sobre os horrores Inquisição e muito mais:

Jeovah MENDES. Os piores assassinos e hereges da história. 1997.
O Papa e o Concílio. De Tayne, Historiador da Literatura Inglesa. Coroado pela Acad. Francesa.
Earle E CAIRNS. O cristianismo através dos séculos.  1977.
Eamon Duffy. Santos e Pecadores.
Ralph WOODROW.  Babilônia: a religião dos mistérios.
Vidas ilustres. Coleção - Volumes VI (os cientistas) e IX (líderes religiosos) e outras publicações, tanto de livros como de jornais.
Ernesto L. Oliveira: Roma, a Igreja e o Anticristo.
Rino Camillieri: La Vera Storia dell Inquisizione, ed. PIemme.
Fidel Fifa.  Los conjurados de Sevilla contra la Inquisición  em 1480.  1890.
Bernard e Vicent.  Historia de los moriscos. Vida y tragedia de uma minoria.  Madri, 1978.
J. Amador de los Rios: Historia social, politica y religiosa de los judios em España y Portugal.   Madri, 1984.
Micael Baygent  Inquisição.
Angel Alcalá: Inquisión española y mentalidad inquisitorial. Barcelona, 1984.
Idem: Los orígenes de la Inquisición em Aragon, S. Pedro Arbués mártir de la autonomia aragonesa. Saragoça, 1984.
Ricardo Garcia Cárcel. Herejía y sociedade en el siglo  XVI.La Inquisición em Valencia (1530 – 1609). Barcelon, 1980.
Idem: Orígenes de la Inquisición española. El tribunal de Valencia.  Barcelona, 1976.
Jean Guiraud: Histoire de L”Inquisition au Moyen Âge. Paris 1935.
Haliczer Stephen:  Inquisition and society in early modern Europe. Londres, 1987.
John Henningsen Gustav e Tedeschi:   The Inquisition and society in early modern Europe.EUA 1986.
Henry Charles Lea: A History of the Inquisition of Spain. EUA, 1906.
Idem: A History of the Inquisition of the Middle Ages. EUA, 1906.
Idem: The Inquisition of the Spain dependencies. 1908.
Henri Maisonneuve: Études sur les origins L”Inquisition. Paris, 1942.
Jaime Contreras: El Santo Oficio de la Inquisicion de Galicia (poder, sociedad y cultura).Madri, 1982.
Jean-Pierre e Dedieu: Geografia de la Inquisición espagñola: la formación de los distritos,1470-1820.
Miguel Avilez Fernandez; Los inquisidores generales: estudio del alto funcionariado inquisitorial em los siglos XV y XVI.  Ifigea, 1084.
Bartolomé Bennassar:  Aux origines du caciquisme? Lês familiers de L”Inquisition em Andalousie au VIIe siécle.  1976.
Idem: L”Inquisition espagnole XV – XIX siécle. Paris, 1979.
Francisco Bethencourt: The Auto da fé: ritual and imagery. 1992.
Louis Cardaillac: Moriscos y cristianis viejos: un enfrentamiento polemico. 1492-1640. Madri, 1979.
Julio Caro Baroja:  Lãs brujas e su mundo. Madri, 1966.
Idem: Los judios e la espana moderna y contenporanea. 1963.
Idem: Los moriscos Del Reino de Granada. Madrid, 1957.
IdemVidas mágicas y Inquisición.  Madrid, 1967.
Rafael Carrasco: Prelúdio al “siglos de los portugueses”. La Inquisicion De Cuenca y los judaizantes lusitanos em el siglo XVI, Hispania  XLVII.
IdemL”administration de la foi. L”Inquisition de Tolède. XVI – XVII siècle.  Madri, 1989.
IdemLes causes de que foi L”Inquisition de Tolède. 1978
Idem: Les Inquisition de Tolède et la visita de district. La sédentarisation d”un tribunal,1550 a 1639.  1977.
Idem: Responsabilité de I”Inquisicion dans le retard é économique de l”Espagne? Eléments de réponse, em aux orígenes du retard économique de la Espagne. XVI – XIXsiècle. Paris, 1983, juntamente com outros autores.
Marcelin DefourneauxLa Inquisición espagnole et les livres français du XVII siècle. Paris, 1963.
Antonio Dominguez Ortiz.  Autos de la Inquisitión de Sevilla (siglo XVII). Sevilha, 1981.
IDEM: Los judeos conversos em la Espana moderna. Madri. Primeira edição em 1955
Miguel Echeverria Goicoechea. Distribución y numero de los familiares Del Santo Oficio em Andalucia durante los siglos XVI – XVIII.  1987.
José Antonio Escudero.  Perfiles jurídicos de la Inquisitón españolaMadri, 1989.
José A Ferrer Benimeli.  La masoneria española em el siglo XVIII. Madri, 1986.
Idem: Masoneria, Iglesia y ilustración. Madri, 1976.
Maureeen FlynnMimesis fo the lãs judgment: the Spanish auto de féEUA, 1991.
Juan Carlos Gallende Días. El Santo Oficio y los primeros Borbones. (1700 – 1759). Espanha, 1988.
Stephen HaliczerInquisition and society in the Kingdom of Valencia, 1478 – 1834EUA 1990.
Gustav Henningsen. El abogado de las brujas. Brujeria vasca e Inquisición española(tradução do Inglês). Madri, 1983.
Idem “El banco de datos” Del Santo Oficio: las relaciones de causas de la Inquisiciónespañola (1550 – 1700).  1977.
Álvaro Huerga. Histori A História dos Concílios, vol. XIV, col 109, por Labbe e Cossart),a de los alumbrados.  Espanha, 1978.
Pilar Huerga Criado. La etapa inicial del Consejo de Inquisición  (1483 – 1498) Espanha, 1985.
Inquisición espagñola. Nuevas aproximaciones.  1987. Vários autores.
Henry Carmem. La Inquisición espagñola  (tradução do Inglês). Barcelona,  1985.
Henry Charles Lea. The moriscos of Spain: their conversion and expulsion. Eua, 1968.
BURNS, E. M., Western Civilizations, Their History and Their Culture, W. W. Norton & Co. Inc., New York, 1968.
João Bernardino Gonzaga, A Inquisição em seu Mundo, Saraiva, 8a. edição, São Paulo
Rino Camillieri, La Vera Storia della Inquisizione, Piemme, Casale di Monferratto, 2001, p. 31).
ANKERBERG, J., Weldon, J., The Facts on Halloween: What Christians Need to Know.Harvest House, Oregon, 1996.
A Concise History of the Baptists by G.H. Orchard (1855). Livro.
A History of the Christian Church by William Jones (1812). Livro.
http://www.geocities.com/I_hate_spammers/waldenses2.html#chapter1 "The Waldenses: An Examination of the Doctrines of This Medieval Sect" by Thomas Williamson.
The Origin of the Baptists.  S.H. Ford.
History of the Donatists.  David Benedict.
The history of the christian church, from the birth of Christ to the 18th Century: including The very interesting account of the Waldenses and Albigenses. By William Jones. 1762-1843.
A History of the English Baptists.  Joseph Ivimey, 1811.
The history of the waldenses.  J. A. Wylie. 1808-1890.
Rasto de sangueJ.M. Carroll. Bestseller.  Clássico.  A História, desde o século I até hoje
Palestras do cardeal Wiseman: “The real presence”.
De James Aitken Wylie (1808-1890) “History of protestantism”
George Elliot ou Mary Anne Evans, 1880 “The abiding sabbath”.
Henry Tuberville “An abridgement of the christian doutrine”.



“Livro das Sentenças da Inquisição” (Liber Sententiarum Inquisitionis) o padre dominicano Bernardo Guy (Bernardus Guidonis, 1261-1331), conta como se deveria usar a tortura de modo bem convincente, provocando toda a dor possível sem matar, para sobrar o gosto satânico de ver o semelhante assado nas fogueiras de Satanás.

Waldecy Antonio Simões    walasi@uol.com.br

Todos os meus escritos são livres para publicações, desde que os textos não sejam modificados.


Meus blogs: 















http://ainfalibilidadedospapasewabsurda.blogspot.com.br/





























                                                          













































                            












 Waldecy Antonio Simões. walasi@uol.com.br

Todos os meus textos são livres para publicações, desde que os textos não sejam alterados

Eu sou a voz que clama na Internet.

 “Então, no Reino do Pai, os justos resplandecerão como o Sol”.  Promessa de Jesus, em Mateus, 13.43